sábado, dezembro 03, 2005

Pessoa começou por ser um...

Passado pouco tempo já eram dois...

"Fernando com uma precocidade excepcional, já com oito meses, segundo dizem, se interessava pelas letras do alfabeto. Tendo a mãe como única professora, sabia escrever com quatro anos. É deste período que data, ao que parece, o primeiro fenómeno de desdobramento da consciência que será o fulcro da sua obra. Um poema de 1927 evoca a surpresa do rapazinho que, ao brincar com um brinquedo qualquer, descobre de repente que eu é Outro:

«Sentiu-se brincando
E disse, eu sou dois!

Há um a brincar
E há outro a saber,
Um vê-me a brincar
E o outro vê-me a ver..."


Estranho Estrangeiro/Robert Bréchon

Sabem em quantos outros ele se desdobrou? Entre heterónimos e pseudónimos que lhe conheça foram pelo menos 26...

1 comentário:

TMara disse...

tanta beleza, gráfica e de pensamento, k aqui vim reencontrar. Bom domingo :)