sexta-feira, janeiro 20, 2006

Subi lá acima só para dizer adeus...



Gosto tanto de dizer adeus. É um adeus que promete reencontro. É um adeus que já leva a saudade consigo. É um adeus por uns dias, por umas horas. Mas é um adeus, porque é preciso partir. É preciso esquecer o Tejo, o casario antigo, os cacilheiros transbordantes de gente... mais as luzes vermelhas, verdes e amarelas. Esquecer que o vermelho nos manda parar, o verde nos manda avançar, o amarelo ...
É só uma pausa para funcionar sem códigos, sem programação. Só para sossegar os olhos da azáfama do formigueiro.
O coração, esse, leva tudo intacto lá dentro... o rio continua a correr, o céu a azular, o sol a brilhar, o cacilheiro a trazer gente, os amigos a desenhar sorrisos grandes...
Mas, de vez em quando, é preciso partir. Partir para ter vontade de regressar...

2 comentários:

C.S.A. disse...

Fabuloso, lindo!
Bom descanso. :)

FOTOESCRITA disse...

Gostei muito.