terça-feira, fevereiro 28, 2006

Portugal Queirosiano IV



... Era decerto em mim o deleite de rever, sob aquele céu de Janeiro, tão azul e tão fino, a minha Lisboa, com as suas quietas ruas cor de caliça suja, e aqui e além as tabuinhas verdes descidas nas janelas, como pálpebras pesadas de langor e de sono.

(A Relíquia)

Sem comentários: