sexta-feira, março 03, 2006

Ainda no percurso de Eça...



Pensou em fazer o seu testamento, mas pareceu-lhe um mau agoiro lúgubre. Desejou então que houvesse uma revolução, ou um incêndio que devorasse metade da cidade, uma catástrofe social, e ficava a olhar, desesperadamente, para a tenebrosa pacatez do largo do Quintela.

(O Conde de Abranhos)

4 comentários:

Mendes Ferreira disse...

festejo o teu talento.....



inveja. a minha. ternura. tb a minha.

Joaquim Silva disse...

fiz-lhe uma visita e desta vez deixei "pegadas"

greentea disse...

façamos então a revolução!

soledade disse...

Excelente esta série, parabéns!