segunda-feira, março 06, 2006

Eça... e a Praça da Alegria



Luísa ia enfim ao campo com Basílio...
E tinham combinado encontrar-se na Praça da Alegria. Chegou tarde, já depois das duas e meia, com o guarda-solinho muito carregado sobre o rosto, toda assustada. Basílio esperava, fumando num coupé à esquina debaixo de uma árvore.

(O Primo Basílio)

Subiu-lhe então de repente ao cérebro um vapor excitante de emanações intelectuais: teve pressa de entrar naquela existência - relacionar-se, regalar-se das discussões sobre Arte e Ideal, «ser também de Lisboa»! Chamou uma tipóia, e mandou bater para a Praça da Alegria, para a casa do Damião!

(A Capital)

Sem comentários: