sábado, abril 08, 2006


(Largo do Calhariz)

...

«E de repente calou-se, embaraçado, levando a chávena aos lábios. Depois, lentamente, voltou-se para escutar melhor o Ega, que ao lado discutia com o Gouvarinho sobre mulheres. Era a propósito da secretária da Legação da Rússia, com quem ele encontrara nessa manhã o conde conversando ao Calhariz. O Ega achava-a deliciosa, com o seu corpo nervoso e ondeado, os seus grandes olhos garços... E o conde, que a admirava também, gabava-lhe sobretudo o espírito e a instrução. Isso, segundo o Ega, prejudicava-a: porque o dever da mulher era primeiro ser bela, e depois ser estúpida... O conde afirmou logo com exuberância que não gostava tanto de literatas; sim, decerto o lugar da mulher era junto do berço, não na biblioteca...

(Os Maias)

1 comentário:

greentea disse...

então , junto do berço....tive pouco tempo para isso - ao fim de quinze dias já andava com o berço às costas!
A minha avó dizia que por cada parto ficava um mês sem sair do quarto e a caldos de galinha; mas o costume das mulheres dessa época em certos niveis sociais era contratarem uma ama para lhes cuidar dos filhos . Eça não terá lido "O amor incerto " de Elisabeth Badinter, certamente - talves estivesse esgotado na Férin


Tem um bom fim de semana. Que eu faço projectos para os meus Dreams.