quarta-feira, maio 24, 2006

Como Eça trata o amor...

Um dos grandes méritos, e dos menos mencionados, do livro (*) é a forma sublime como Eça escreve sobre sexo (**). Não é nas cenas onde entram o lúbrico Amaro ou o decadente Basílio que Eça cria os ambientes mais eróticos, mas aqui, neste livro, onde o sexo aparece em surdina.

Eça de Queirós / Maria Filomena Mónica, p. 228.

(*) Os Maias
(**) Num livro recente, Eduardo Lourenço chamava a atenção para a força erótica dos seus romances. Ver. E. Lourenço, Portugal como Destino, op. cit., pág. 49.

Inspirado nos textos de Eça publicados em Por-um-Fio, ARTSPOTTER publicou uma fotografia muito bonita onde existe um toque erótico à qual não consegui ficar indiferente.

Acrescento ainda um aspecto curioso. ARTSPOTTER é um blog de um belga, Gustaaf Vander Biest, que sem saber nada de português começou a seguir os textos aqui publicados de Eça e ficou bastante interessado ao que parece, tendo já procurado "Os Maias" no google e na biblioteca local.
Reconheceu que o tema era parecido com uma obra holandesa da mesma época.
Transcrevo aqui parte da sua mensagem: «Last week, I suddenly became interested in your "Os Maias"-stories. Some "googling" made me understand what is was all about. Immediatly I remembered a similar book in Dutch: "Eline Vere" by Louis Couperus, edited for the first time in 1889 (just a year later than "Os Maias"). It plays mainly in The Hague (Holland) and just partly in Brussels, with about the same kind of people in the same kind of world...
The picture "Fin de siècle" on ARTSPOTTER (18.05.2006) was a result of that new knowledge.
"Os Maias" exists in a dutch/flemish version(our local library evens seems to have it). So far I don't know if "Eline Vere" is available in Portugese.
Have a nice and sunny day.
Here it's raining and pretty cold for the rest of the week.

G.»

- Thank you G. for your beautiful photograph and message!


2 comentários:

FOTOESCRITA disse...

Que giro! E tens razão, não se fica indiferente à tal fotografia.

Teresa David disse...

O tema dos Maias bem como quase toda a obra do eça, faz parte dessas coisas universais que são os sentidos e as relações humanas, logo parece-me que não será mto dificil em qualquer País encontrar temas similares. Resta saber é se terão a qualidade literária da escrita do Eça!
Um abraço
Teresa David