quinta-feira, junho 15, 2006



(Leiria, Praça)




(O Castelo de Leiria visto da Praça)


«Em redor da Praça as casas estavam já adormecidas: das lojas debaixo da Arcada saía a luz triste dos candeeeiros de petróleo, entreviam-se dentro figuras sonolentas, caturrando em cavaqueiras, ao balcão. As ruas que vinham dar à Praça, tortuosas, tenebrosas, com um lampeão mortiço, pareciam desabitadas. E no silêncio o sino da Sé dava vagarosamente o toque das almas.»


(O crime do Padre Amaro)





(Leiria, a Praça)

5 comentários:

ROADRUNNER disse...

A "vida" é uma viagem. Com um ponto de partida e outro de chegada...

FOTOESCRITA disse...

A primeira fotografia a contar de cima lembrou-me Évora. Pelas arcadas, suponho.

greentea disse...

mas não é Evora ...

e ele há gente tão indiscreta que se fica a saber pormenores intimos, privados...

penso que não me enganei pois acho que reconheci aquele rosto que já vi noutro lugar.
Mesmo q esteja enganada, um abraço bem grande, por hoje

T. disse...

Não, não é Évora.É mesmo a Praça no centro de Leiria!

Teresa David disse...

Vejo que o teu olhar agora se passeia por outras paragens que não Lisboa. Também eu mais uma vez andei passeando pelo Norte e recolhi inumeras imagens para olhar e inspirar-me talvez.
Um beijo amigo
Teresa David