quinta-feira, agosto 24, 2006


(Castelo)



«Ah, não há saudades mais dolorosas do que as coisas que nunca foram! O que eu sinto quando penso no passado que tive no tempo real, quando choro sobre o cadáver da minha infância ida ... isso mesmo não atinge o fervor doloroso e trémulo com que choro sobre não serem reais as figuras humildes dos meus sonhos, as próprias figuras secundárias que me recordo de ter visto uma só vez, por acaso, na minha pseudovida, ao virar uma esquina da minha visionação, ao passar por um portão numa rua que subi e percorri por esse sonho fora.»

(Livro do Desassossego: Composto por Bernardo Soares, ajudante de guarda-livros na cidade de Lisboa / Fernando Pessoa)

9 comentários:

merdinhas disse...

Virar esquinas da visionação...



sombra a sombra.

merdinhas disse...

À espera? Tu não ficas à espera...(já há mais que ver depois disso.)

Viagem ao Porto. Registos.Post a post.
Com pena minha não esquina a esquina mas algumas ruas.

Teresa David disse...

Uma porta aberta sobre a cidade. Que bela imagem. Estás bastante produtiva no teu blog, bom bom, e criativa tb, mas isso és sempre!
Tb postei 1 coisa nova a partir de uma foto tirada ontem na praia.
Um abraço
Teresa David

hfm disse...

E não são nunca passos perdidos!

FOTOESCRITA disse...

Comovente.

Choninha disse...

As saudades também são das coisas que foram para além das que quase foram sem o ser... Tens razão T. com as palavras do poeta ficam poucas para redizer... as doidas das palavras!

FOTOESCRITA disse...

Tens um novo desafio no PPP

greentea disse...

vim hoje aqui
estive de férias e sem computador sem blog sem visitas;
lembrei-me de ti, tenho-me lembrado...
Não voltei ainda ao Desassossego nem preparei nenhum post. Um dia destes...
um beijo

Leticia Gabian disse...

"Ah, não há saudades mais dolorosas do que as coisas que nunca foram! O que eu sinto quando penso no passado que tive no tempo real, quando choro sobre o cadáver da minha infância ida ..."
Pessoa escreve como quem dá um soco na boca do estômago. É de tirar o ar!
Abração pra ti.