segunda-feira, setembro 18, 2006


(Jardim do Torel, Campo Mártires da Pátria)

«Invejo a todas as pessoas o não serem eu. Como de todos os impossíveis, esse sempre me pareceu o maior de todos, foi o que mais se constituiu minha ânsia quotidiana, o meu desespero de todas as horas tristes.

Uma rajada baça de sol turvo queimou nos meus olhos a sensação física de olhar. Um amarelo de calor estagnou no verde preto das árvores.»


(Livro do Desassossego: Composto por Bernardo Soares, ajudante de guarda-livros na cidade de Lisboa / Fernando Pessoa)

5 comentários:

merdinhas disse...

Não me apetece dizer outra coisa que não seja...gosto imenso do Torel.

Choninha disse...

Eu, ao contrário do B.S., mesmo as vezes em que não gosto muito de mim não quero ser outra, que não eu. Já me conheço, já sei identificar os sinais. Que raio faria se, de repente, fosse outra que não a própria?


Um beijo grande T.

T. disse...

Pois é, Choninhas, também estou de acordo contigo! Que raio de vida seria a tua?
:))))

Margot disse...

Parabéns pelas fotos!
Aqui deixo um site sobre um concurso de fotografia sobre as cidades de Lisboa e Bremen.

www.lisboa-bremen.eu

Um abraço

Margot disse...

Lindo este jardim.
Aqui fica um site de um concurso de fotografia sobre lisboa e bremen. Estas fotos mereciam ganhar.

www.lisboa-bremen.eu

Um abraço