quinta-feira, fevereiro 08, 2007

Há casas paradas e gente que anda...


(Travessa da Ricarda)


Na rua cheia de sol vago há casas paradas e gente que anda.
Uma tristeza cheia de pavor esfria-me.
Pressinto um acontecimento do lado de lá das frontarias e dos movimentos.
...
Não, não, a Verdade não! Deixai-me estas casas e esta gente;
Assim mesmo, sem mais nada, estas casas e esta gente...
Que abafo horrível e frio me toca em olhos fechados?
Não os quero abrir de viver! Ó Verdade, esquece-te de mim!

(Fernando Pessoa)


3 comentários:

Teresa David disse...

Que bem apanhado pela tua câmara este estreitar de rua que quase parece ir esmagar alguém.
Bjs
TD

Isabel José António disse...

Dentro do espírito da Espiritualidade e da Natureza, pode ir ver nosso recém criado blogue O Caminho do Coração - Reflexões Espirituais, cujo URL é o seguinte:

http://reflexoessentidas.blogspot.com

Se quiser pode lá chegar, assim como aos nossos restantes blogues, através de nosso perfil.

Um abraço, também actualizámos o Observatório, onde recentemente nos visitou.

nnannarella disse...

_________________________

O medo e o pavor são
desfiladeiros apertados.

Aqui não são as árvores que sussurram histórias... :)
são frontarias, degraus, vozes e vidas verdadeiras. (E não respondeste qual era o "teu" medo.)

Não tenhas medo das conversas de lá... o mais das vezes são para rir...:)