sexta-feira, fevereiro 09, 2007

A espantosa realidade das coisas



É a minha descoberta de todos os dias.
Cada coisa é o que é,
E é difícil explicar a alguém quanto isso me alegra,
e quanto isso me basta.
...
Outras vezes oiço passar o vento,
E acho que só para ouvir passar o vento vale a pena ter nascido.


(Alberto Caeiro)

4 comentários:

obni disse...

C'est vraiment très beau… Je sens qu'un jour je vais venir visiter Lisbonne

Teresa David disse...

Esta imagem é daquelas que me apetecia transformar em aguarela! Mas agora ando preguiçosa para pintar!
Bjs
TD

Isabel José António disse...

Amiga M@Teresa,

A um nível subtil todos fazemos parte de TUDO. Nós estamos no TODO e o TODO está em nós.

Daí essa sensação de plenitude que só se alcança se virmos com os olhos do coração.

Muito interessante e sugestivo esta post.

Um grande abraço

José António

M. disse...

Como uma aguarela... Muito bonita.