sábado, março 31, 2007



(Alcochete)


O MAU AROMA álacre
Da maresia
Sobe no esplendor acre
Do dia.

Falsa a ribeira é lodo
Ainda a aguar.
Olho, e o que sou está todo
A não olhar.

E um mal de mim deixa.
Tenho lodo em mim...
Ribeira que se queixa
De o rio ser assim.

(Fernando Pessoa)

Sem comentários: